Não sei amar em doses homeopáticas

Uma vez conheci alguém que economizava alma. Alguém que contava encontros pra não se entregar demais. Alguém que erguera uma muralha em torno do coração para se defender de monstros que acreditava virem de fora só para feri-la quando na verdade eles moravam dentro dela. Você já conheceu alguém assim?

amor-gotas
Desculpa o mau jeito, moça! É que eu não sei amar em doses homeopáticas.

Elas só sabem amar em doses homeopáticas, um sentimento que era tão racionalmente calculado e dosado através de uma conta gotas que a gente até desacredita que possa causar algum tipo de efeito colateral e nem causar efeito algum, mas causou. Essa pessoa acreditava verdadeiramente que a minha maneira de amar, tão irracional e avassaladora era errada demais para combinar com seu mundinho particular onde um relacionamento perfeito era composto por uma conta desigual: mais liberdade e menos reciprocidade. Depois eu que acreditava em contos de fadas, né? Amores fracos demais para aguentarem fortes tormentas, são amores que não merecem o tempo de alguém.

Em certo momento ela me disse que o meu sentimento a sufocava e se eu fui dramaticamente exagerada pra conter um sentimento tão grande é porque ele não cabia dentro do peito. É porque ele me fazia transbordar de felicidade, quebrando todas as barreiras, nem sempre de maneira sutil. É que pra mim, a paixão não combina com sutileza. Afinal, ela é avassaladora em todas as suas definições. Eu sou dessas que prefere pecar pelo excesso do que pela escassez, por isso nunca soube lidar com as migalhas de amor, mas aceitava ainda assim, se era apenas o que elas podiam me oferecer daquele momento. Não sei lidar com as metades de pessoas que hora te amam outrora não podem te ver por perto.

Pra mim, nunca existiu o meio termo. Não com ela. Pra mim, não era um quase amor, muito menos um “Eu te amo, mas…”. Ou sente por inteiro ou não sente e eu preciso sentir tudo. Preciso esgotar todas as possibilidades. E eu te amei tanto que esgotei as minhas. Esgotei as minhas dores, as minhas lágrimas, a minha esperança. Esgotei-me por dentro e por fora. Cansei de amores rasos demais. Desculpa o mau jeito, moça! É que eu não sei amar em doses homeopáticas. Eu até agradeço o seu jeito de sentir, mas  esse seu amor em conta-gotas eu dispenso e não recomendo.

Anúncios

4 thoughts on “Não sei amar em doses homeopáticas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s