A GERAÇÃO QUE NÃO SE IMPORTA

I don't care

Eles foram criados a base de Danone e leite ninho na geladeira e jogando Play Station no sofá, nunca faltou nada, muito pelo contrário, sempre tiveram tudo o que queriam e na hora em que queriam. Se não tivessem, o show em qualquer lugar que fosse era certo. Uma geração que não consegue manter boas e longas relações, pois aprendeu desde criança que é melhor comprar um novo do que consertar o que está quebrado como antigamente (e graças a Deus tem condições para isso). Com pais ausentes (ou não)  amor, carinho e atenção nunca foi o foco principal e, assim como aprenderam com eles a colocar o trabalho sempre em primeiro lugar, o foco deles também é na carreira. Não que seja errado, mas existem outras coisas igualmente importantes na vida. Uma geração que aprendeu a se virar sozinha desde cedo e de fato é muito independente, mas que no fundo é a mais dependente que já existiu!

A geração do botão foda-se, que grita aos quatro ventos que não precisa da opinião de ninguém, mas que ao mesmo tempo conta likes de cada foto que posta no Facebook ou Instagram.  Triste geração que não sabe o que é assistir a um por do sol ou a um show ao vivo e sim através das câmeras do Iphone’s, Ipad’s e tantos “ais” por aí.  Que são trocados de tempos em tempos, geralmente com a chegada de novos modelos em um mercado cheio de novidades. É a geração que coloca os fones de ouvido e se fecha em uma bolha sem se importar com o que acontece ao redor, salvo raros casos em que podem ganhar algo com isso, seja dinheiro ou status. 

A geração de copos cheios a corações vazios. De amores rasos e superficiais. A geração do tudo ao mesmo tempo agora. De prazeres momentâneos e passageiros. Que enjoa fácil das coisas e das pessoas. A geração do “Tá, qualquer coisa eu aviso!” – deixa eu ver se não tem alguma outra opção melhor primeiro – que trata as pessoas e os sentimentos como se fossem descartáveis.  Que mantém relações superficiais e facilmente dissolúveis, assim constroem seus castelos de areia. A geração que propaga o amor, mas não sabe amar. Estão cada vez mais infelizes e vivem às voltas com seus relacionamentos, se escondendo atrás de muros de desapego e medo como “Não estou preparado para um relacionamento sério” ou  “ Sou muito confuso (a)” além do clássico e clichê  “Não é você, sou eu”  com a desculpa de não sofrer. Mas a vida é feita de acertos e erros, de sofrimento também. Sofrimento às vezes é crescimento.

A geração que precisa ser ouvida como diz a campanha (…) e que divulga sua vida a todo o momento para conseguir isso. É a geração que propaga o amor aos quatro ventos em campanhas como “Mais amor, por favor,”, “Espalhe o amor”, “Doe sentimentos”, “Espalhe gentileza” entre outras tantas comunidades que vemos por aí… Não que eu seja contra, muito pelo contrário, acho muito lindas e criativas, mas o ponto em questão é que cada uma dessas ações precisa ser divulgada a exaustão nas redes sociais para serem válidas? Onde fica o “Não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita – Mt. 6”? Ah, me esqueci de que essa geração talvez nunca tenha lido uma bíblia, pois preferem 50 tons de cinza. Não que eu seja a pessoa mais religiosa do mundo, mas acredito que quando você faz uma boa ação é mais para você se sentir bem consigo mesmo. Claro muitos têm boas intenções, não quero generalizar. Porém de boas intenções o inferno está cheio.

As marcas também acompanham cada passo dessa geração e claro, querem atingi-la a qualquer custo, mas eles são muito desatentos e vivem pensando em milhões de coisas ao mesmo tempo.  E para chegar até eles usam a mesma linguagem rápida e volúvel. Uma campanha usada recentemente, espalhou pela cidade cartazes com a #UmbrindeaVidareal e conseguiu atrair muitos olhares curiosos e divulgou a autoria com um vídeo que retrata muito bem tudo o que eu disse até aqui. Claro, que vão aparecer muitos “haters” julgando o meu pensamento, pois além de tudo essa é uma geração que não aceita opiniões contrárias.

Assista ao vídeo: Um Brinde a vida real

biome31

Anúncios

2 thoughts on “A GERAÇÃO QUE NÃO SE IMPORTA

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s