Fechado para reparos

 

fiquelonge

Leia ao som de Imagine Dragons: Demons

Sim, eu estava bem. Quase recuperada de todas as merdas do passado e pessoas babacas que passaram pela minha vida. Daí você apareceu, parecia um sonho, tudo o que eu esperava até então. Mais dia, menos dia eu já me via completamente e perdidamente apaixonada por você e sem saber exatamente o motivo.

Talvez você fosse um erro, dos mais encantadores e sedutores mas ainda assim poderia ser um erro. Sabia que estava me metendo em um terreno perigoso e que mais cedo ou mais tarde viraria um grande problema e você bem que tentou me avisar, mas não quis escutar pois mesmo que você fosse um erro por você “Eu corro o risco”.Assumo, a culpa foi toda minha. Deixei você entrar, se apossar de todos os espaços dentro de mim lenta e gradativamente como quem cai no sono.

Fez do meu coração um lugar mais aconchegante durante um tempo, tinha cheiro de casa. De um lar que nunca tive. Tinha amor. Tinha o seu cheiro e o meu misturados. Trocou a mobília, trouxe toda sua bagagem, pintou as paredes e pintou o 7. Mas, como sempre, as coisas boas não duram para sempre e você se cansou daquela rotina. Meu humilde e pequeno coração se tornou pequeno e sufocante demais diante de um mundo inteiro lá fora te esperando.

Talvez tenha sido um erro ter te deixado entrar, ter acreditado em alguém que não teve medo, nem receio de partir. Alguém que tem o desapego como lema de vida e que não se importaria com quem ou que feridas e marcas deixaria pra trás. Quem se importa? Quem deveria se importar? Por qual motivo você deveria se importar, afinal, eu já tinha escondido os piores sentimentos e seus monstros em uma caixinha no fundo do meu porão. Pra te proteger, mas não me arrependo. Faria de novo e de novo.

No fim, você partiu, deixando uma bagunça danada, levou tudo o que queria dali, tudo o que eu tinha e que já não era muito. Não sobrou nada pra quem viesse depois. O lugar era um vazio só, apenas cacos de vidro espalhados pelo chão, ao menos seriam uma bela armadilha pra quem entrasse depois, com certeza se machucaria um bocado. Quem seria tão corajoso de entrar em um lugar tão abandonado?

Apesar de tudo isso agradeço a Deus todos os dias pelos momentos que passei contigo, então se eu pudesse fazer outro pedido enquanto soprava as velas do meu bolo de aniversário, pediria você mais um milhão de vezes pois o pouco de felicidade que vivi contigo foi bem mais do que tive a vida toda.

Por enquanto eu deixo cada coisa em seu lugar, exatamente como deixou. Não consigo te deixar ir embora, seu perfume ainda exala pela casa e seus fantasmas agora me fazem companhia. Mantenho suas fotos nas paredes pra poder me lembrar de ti vez ou outra antes da próxima tempestade levar tudo embora mais uma vez.

Na porta, apenas uma placa: “Fechado para reparos”.

 

“Não se aproxime muito, é escuro aqui dentro. É onde meus demônios se escondem.”

 

biome31

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s