O amor tem razões que a própria razão desconhece!

Imagem

Acho que nunca entenderam a minha preferencia pelas comédias românticas, apesar de ser água com açúcar, na sua grande maioria realmente trazem boas lições pra nossa vida. Ontem por exemplo fiquei acordada até tarde para assistir um desses filmes mimimi que era completamente diferente das outras que já tinha assistido e trouxe uma lição bem interessante sobre como valorizamos o belo e como este é relativo. O nome do filme é ‘Ela é demais pra mim’ e conta a história de um jovem magrelo, desajeitado e com um emprego que não é exatamente um motivo de orgulho. Na trama ele (Kirk) conhece uma loira deusa de parar um aeroporto inteiro a seus pés, inteligente; engraçada e bem sucedida na vida, o  completo oposto dele. Ela (Molly) acaba esquecendo seu celular com ele, o que inicia uma série de encontros onde os amigos e família de ambos os lados rotulam e menosprezam o lado mais fraco: “Imagina, ela é um dez redondinho e você é no máximo um cinco não tem como saltar essa barreira, é a lei do amor!”. Lei do amor? Não seria mais válida então aquela regra de que opostos se atraem? O filme mostra como somos ligados sim à beleza, admita quantas vezes você mesmo já se viu julgando um casal na rua por não serem assim tão compatíveis nos atributos físicos? ”Nossa, mas ele é tão bonito pra ela!” ou “Ela é muito nova pra ele, deve ser rico!” realmente a beleza é a primeira coisa que nos chama atenção em alguém, todos temos um tipo físico de que gostamos e que nos agrada, por mais que possamos insistir em negar e julgar aqueles que não têm a mesma visão, que partem daquele princípio de que quem ama o feio bonito lhe parece. O problema é quando a beleza passa a ser primordial na vida de alguém, ela acaba te impedindo de ver uma pessoa interessante por trás daquela casca e que poderia te fazer muito feliz. Aprender que as pessoas podem sim ser vistas além daquela casca e que são pessoas de verdade com muitas qualidades, com coração, sentimentos e claro com  defeitos também não é uma tarefa fácil. A lição mais importante é que precisamos dar oportunidade de conhecê-las além da primeira impressão (que pode enganar muitas vezes) e além dos rótulos impostos pela sociedade pra quem sabe assim ter a oportunidade de viver algo real e não só algo imaginado. Como acontece na maioria das vezes, imaginamos que aquela pessoa “perfeita” na aparência é também perfeita no seu interior, o que raramente ocorre, no final e exigimos tanto dessas pessoas e criamos tantas expectativas sobre elas que acabam se sentindo pressionas a ser aquilo que elas não podem ser. Colocar alguém em um pedestal pode ser perigoso, toda essa expectativa pode se voltar contra você, como aconteceu no filme, quando tudo estava bem entre os pombinhos, o protagonista esperava que a loira bonitona tivesse algum defeito para que pudesse se sentir mais digno de ficar com ela, é a baixa autoestima tomando conta da situação, e que não o deixava ver os reais motivos por ela estar com ele e não com o piloto bonitão. Quantas vezes estamos em um relacionamento onde não nos sentimos bons o suficiente, mas devemos entender que a pessoa que está ao nosso lado é livre para escolher uma entre um milhão e se ela escolhe permanecer ali é porque realmente algum sentimento verdadeiro existe independente de todos os obstáculos e que você tem algo que ela procura pra ser feliz. E quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração? O amor tem razões que a própria razão desconhece já dizia Blaise Pascal.

Super indico esse filme!

 

biome

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s